quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

INSÓNIA


O sono é um momento de descanso muito importante para o corpo, sendo fundamental para as suas funções biológicas. É uma atividade noturna e seu tempo de duração varia de pessoa para pessoa, sendo de maior duração na infância, adolescência, diminuindo com a idade jovem/adulto, e por fim, diminuindo ainda mais na terceira idade.
Frequentemente a diminuição do tempo de sono, que ocorre normalmente na terceira idade, é confundida com insônia ou qualquer outro distúrbio de sono.

Um sono bom, satisfatório, é aquele onde existe sensação de noite bem dormida, independente do tempo dormido. Algumas pessoas dormem somente duas horas, pois, houve uma adaptação do corpo, proporcionando então até um sono satisfatório. A falta de sono, por sua vez, leva à fadiga, irritabilidade, cansaço, indisposição e a problemas de memória.

 A insônia pode ter causas orgânicas e psíquicas. Pesquisas apontam a produção inadequada de serotonina e melatonina pelo organismo e o estresse provocado pelo desgaste do dia a dia ou por situações limite como causas mais importantes.
Na grande maioria dos casos, entretanto, a insônia está relacionada a distúrbios psíquicos como a depressão, ansiedade, angustia, ou stress. Alguns estudos demonstram ser a insônia mais frequente entre pessoas divorciadas e viúvas.
 
Há vários distúrbios do sono, como a sonolência excessiva, o terror noturno e o sonambulismo, mas a insônia é o mais importante.

A insônia, entretanto, pode ocorrer de maneira transitória, durante um período de maior preocupação ou precedida pelo estresse.
A insônia pode se manifestar de três formas: a dificuldade que a pessoa tem de iniciar o sono, o acordar constante durante a noite ou o despertar muito cedo. A insônia persistente pode levar a problemas de humor e de comportamento, queda na produtividade intelectual e física, bem como a depressão. A pessoa que não dorme bem está mais sujeita a sofrer acidentes de automóvel, a aumentar o consumo de álcool e sentir sonolência durante o dia.
Fonte:Revista Podologia Hoje


 

 


Sem comentários: