terça-feira, 15 de outubro de 2013

TÍROIDE


A Tiroide é uma glândula capaz de interferir no metabolismo das células de quase todos os órgãos.

A função desta glândula é produzir, armazenar e liberar hormônios tireoidianos na corrente sanguínea. Estes hormônios, também conhecidos com T3 e T4, agem em quase todas as células do corpo. A produção da quantidade de hormônios é controlada pala pituitária ou hipófise

A secreção dessa glândula é chamada Tiroxina. É uma substância gelatinosa contendo uma grande percentagem de Iodina, bem como Arsênico e Fósforo. A Tiroxina depende da Iodina para sua atividade. A tiroxina contém iodo e regula o metabolismo basal ou o índice de oxidação celular, em outras palavras, o metabolismo do oxigênio.

Há outras substâncias na secreção da Tiroide com funções próprias, porém suas atividades são secundárias e obscuras.

A Tiroide é a glândula de energia. A sua secreção controla o ritmo de viver, de tal modo que quanto menor é a quantidade de secreção tanto menor é o nível de atividade energia. A rapidez com que se produzem as reações químicas que constituem os processos da vida, dependem da Tiróide.

Esta glândula dá equilíbrio ao cérebro, auxilia a digestão, mescla o ferro com as substâncias alimentares, segrega o Iodo que combate os venenos do corpo, coopera também no controle da quantidade de gordura no organismo e previne e cura o Bócio.

A sua influencia é muito extensa, faz-se sentir, não só, no fígado, pâncreas e olhos,  mas também em todas as funções: sexuais, circulação, temperatura, motoras, sensibilidade, imunidade, febre etc. A sua ação manifesta-se também nos sentimentos, emoções, vitalidade, linguagem e inteligência

As principais funções desses hormônios são:
·         Aumento do consumo de oxigênio e, portanto, da taxa metabólico.
·         Aumento da excreção de colesterol, causando a diminuição da colesterolemia.
·         Aumento da absorção de glicose com potencialização da ação da insulina.
·         Aumento da força de contração do coração e da frequência cardíaca, gerando aumento do volume sistólico, e aumento do peristaltismo.
·         Manutenção do steady-state proteico, pois o aumento de T3 leva ao predomínio do catabolismo nos músculos e nos ossos.
·         Estímulo da lipólise e da secreção de GH.
 

 

 

Sem comentários: